Microcampanha para a volta do Kit Kat

Abril 21, 2009 at 3:19 pm (Uncategorized)

kit-kat1
Uma das vantagens de se ter um Blog é que você pode escrever sobre qualquer bobagem ou coisa que der na telha, sem se preocupar de ser taxado de demente ou louco (tal democracia e liberdade praticamente definem o que representa a internet nos tempos atuais).

Que me conhece sabe que, além da música, uma das minhas paixões são os chocolates. E o Kit Kat ocupa uma posição de destaque no meu Top Five geral dos melhores chocolates de todos os tempos (ainda não consegui estabelecer as posições deste Top Five).

Lançado na Inglaterra em 1937 pela Nestlé, o Kit Kat é um chocolate que vende cerca de 47 unidades por segundo no mundo. Os ingleses são os maiores responsáveis pela produção mundial da barrinha, exportada para países da Europa e da América do Sul. Kit Kat chegou ao Brasil em 1994, em apenas uma versão (chocolate ao leite). No mundo, há diversas outras, inclusive uma para ser colocada na geladeira (Kit Kat Chil It) e outra com menta (Kit Kat Mint).

Diversos artigos na internet apontam que esse maravilhoso produto serviu de valioso alimento durante a II Guerra Mundial. Dizem que a chave do sucesso do Kit Kat deve-se, essencialmente, ao fato de ser um produto único que oferece a quantidade certa de chocolate e Crisp Wafer (bolacha wafer) deixando para trás com facilidade “similares” como Bis (da Lacta) e Sem Parar (da própria Nestlé).

Existem duas versões do chocolate, uma da Nestlé e outra da Hersheys, dependendo da localidade do mundo. Pessoalmente, acho a da Nestlé embora a da Hersheys esteja longe de se jogar fora.

Entretanto, infelizmente esse sensacional chocolate deixou de ser fabricado pela Nestlé do Brasil há alguns anos atrás. Não se tem informações precisas que revelem os motivos desse crime. Todavia, dada a popularidade do produto no Brasil (e no mundo) ao que parece a razão não foi o volume de vendas que parecia ir muito bem (todo que já experimentou é louco por esse troço).

Já li textos que apontam que a marca pertence a Hersheys o que teria levado a Nestlé no Brasil a deixar de comercializar o chocolate. Segundo tais fontes, a Hershey já estaria em processo de aprovação para comercializar no Brasil novamente o Kit Kat.

Independente disso, ajude essa nobre causa de trazer de volta o Kit Kat para as prateleiras do Brasil. Voce pode ligar gratuitamente para a Nestlé (0800-7702411) ou enviar um email para falecom@nestle.com.br.

Se cuidem e até,

Z

TOP FIVE DA SEMANA

– O tradicional anual “Churrasco Santo” organizado pelo Lucky na sexta-feira santa da Páscoa;
– Passar o feriado com a Pauline e comer o “Frango a la Polly” preparado por ela;
– Ouvir todos os discos do Nirvana na seqüência e tocar “Breed” com o Alva no ultimo ensaio;
– The Dismemberment Plan – “Change”;
– Riddle Of Steel – “Got This Feeling”;

Anúncios

Permalink 7 comentários

Autolux faz promessas para este ano

Abril 16, 2009 at 3:19 am (Uncategorized)

autolux

O Autolux é um trio FODIDO (se você o conhece, imagine o Marcos Maia falando. Esta é a entonação) de Los Angeles, Califórnia, EUA, Planeta Terra. Eles começaram suas atividades em 2000 e a banda é formada por Eugene Goreshter (voz e baixo), o ex-Failure Greg Edwards (na guitarra e vocais) e pela baterista (e vocal) Carla Azar.

Depois de chamar a atenção do produtor T-Bone Burnett durante um show da banda, os caras assinaram com a DMZ Records e lançaram em 2004 o seu primeiro (e ate agora único) álbum o “Future Perfect”. O disco é perfeito e outra vez ninguém percebeu.

Primeiro disco da banda merece ser ouvido.

Primeiro disco da banda merece ser ouvido.

 

Em 2005 o queixo de Trent Reznor do Nine Inch Nails também caiu ao vê-los ao vivo razão pela qual o sujeito convidou a banda para abrir os shows da turnê americana de sua banda (época do também memorável “With Teeth” do NIN).

Achei que a banda tinha acabado depois disso (talvez tivesse mesmo) mas soube hoje que os caras estão preparando um disco novo para este ano (que já foi batizado: “Transit, Transit”). Aqui peço licença para abrir um brevíssimo parênteses (você vai entender depois):

Para quem não sabe, eu sou participante honorário do Programa É ROCK na Radio UDESC. Assim, pelas próximas duas semanas estarei cobrindo o amigo Rubens Herbst e levando coisas bacanas para tocar no Programa (Rubens você pode pegar ferias quando quiser). No Programa que vai ao ar neste sábado (91.9 FM) as 20:00 e que tem reprise no domingo as 17:00 eu vou tocar duas faixas do Autolux então se você não resolver baixar tudo que eles lançaram (e ainda não lançaram) na net e quiser ouvir musica como os antigos costumavam fazer (na radio), make yourself confortable. Fecho assim o parênteses.

Se você gosta de musica marcante e inventiva e ainda não conhece o Autolux deveria se auto-penetenciar (eu tento me livrar dos trocadilhos mas ele sempre aparecem, juro que é sem querer) em segredo ou então assistir os clipes abaixo, baixar ou comprar o disco assim que puder e ser feliz como eu sou toda vez que ouço estes caras.

Se cuidem e até,

 

Z

 

TOP FIVE DA SEMANA

– Pizza Supreme do Pizza Hut;

– Ganhar um monte de chocolate na Páscoa;

– Branch Manager – “Anything Tribal”;

– Greg Dulli – “Amber Highlights “;

– Voltar a gravar o É ROCK na radio UDESC;

Permalink 1 Comentário

Voltando ao Mars Volta

Abril 14, 2009 at 7:28 pm (Uncategorized)

mars-volta3

Perdão pelo trocadilho inicial, não consegui resistir. O fato é que o sensacional The Mars Volta acaba de anunciar que irá lançar seu sexto disco no próximo dia 23 de junho. A obra se chama “Octahedron” e, contrariando o que título poderia indicar, terá 7 canções e “apenas” 49 minutos (considerando os padrões Mars Voltanianos, com menos de 50 minutos de música se faz um Ep e não um álbum!).

Uma das bandas mais inventivas da atualidade, o Mars Volta foi formado pelo guitarrista Omar Rodriguez-López e pelo vocalista Cedrc Bixler-Zavala (que tocaram juntos antes no interessante At The Drive-In) no ano de 2001. Seu som é uma mistura esquisofrênica, caótica,  e, por vezes, exagerada de gêneros musicais como punk rock, salsa, dub, funk, jazz fusion e, é claro, prog rock e com letras repletas de “imagens” relacionadas à ficção cientifica e ao sentido da vida (em sua acepção mais obtusa e viajandona). mars20volta2

Teoricamente falando (discos conceituais, músicas com mais de 6 minutos repleta de improvisos e uma salada musical sem precedentes) a banda tinha tudo para não funcionar ou se tornar cult apenas nos guetos dos fãs mais excludentes e “cabeças” da música alternativa independente. Entretanto, sabe lá porque razão, os caras conseguem ser respeitabíssimos no mainstream recebendo até mesmo elogios de gente como Eric Clapton e os caras do Metallica. O reconhecimento veio também com a premiação máxima da música: O Grammy. Neste ano os caras conquistaram um Grammy pela melhor performance Hard Rock com a canção “Wax Simulacra” do último (ótimo) e maluco disco lançado pela banda “The Bedlam in Goliath”.

Em “Octahedron” a formação da banda (conhecida por sua fluidez e constante modificação) contará com os âncoras fundadores da banda – vocalista e guitarrista – e pelo multi-instrumentista Marcel Rodriguez-López, pelo baterista Thomas Pridgen, tecladista Isaiah “ikey” Owens, pelo baixista Juan Alderete de la Peña e o guitarrista John Frusciante (que toca também no Red Hot Chili Peppers, entre outros projetos).

mars_volta_logo1Assim como tantas outras boas bandas que gosto, o que eu sei é que, do Mars Volta só se pode esperar surpresas e que a sua cabeça se entorte para entender o que estes caras que não devem ser deste planeta vão aprontar na seqüência.

Até lá, fiquem com um apanhado geral da obra do Mars: “The Widow” (do segundo disco “Frances, The Mute” de 2005) e “Televators” (do primeiro disco “De-Loused in The Comatorium” de 2003).

Se cuidem e até,

 Z

 

TOP FIVE DA SEMANA

– Passar parte do final de semana em Curitiba/PR com a Pauline e a Daya para ver o Dead Fish e o Zander e rever os amigos;

– Ter mandado o disco do Alva para a prensa;

– Sorvete de côco da Amorato – Sorvetes Artesanais;

– Zander – “Em Construção”;

– Zakk Wylde – “Book of Shadows”.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Permalink 1 Comentário

(Re)unidos pelo destino

Abril 3, 2009 at 5:11 pm (Uncategorized)

rival

Tudo certo?

O Rival Schools está de volta. “Quem?” – você deve estar perguntando.

Uma espécie de supergrupo do pós-hardcore, o Rival Schools foi formado em 1999 por Walter Schreifels (o principal compositor do Gorilla Biscuits e o frontman do influente e também extinto Quicksand), Sam Siegler (ex-CIV), Ian Love (ex-Burn) e Cache Tolman (ex-Iceburn). O Rival lançou apenas um Ep e um álbum até encerrar suas atividades em 2003.  

O Ian Love se parece com uma espécie de primo distante norteamericano do Rubens Herbts, não?

O Ian Love se parece com uma espécie de primo distante norteamericano do Rubens Herbts, não?

 

“United By Fate”, o primeiro e único álbum da banda, foi lançado em 2001 via Island/Universal Records e conta com 13 faixas bem acabadas, pesadas, melódicas, barulhentas e marcantes.

Isto é, você pega figuras carimbadas da cena de Hardcore de NY de 30 e poucos anos que não estavam mais dispostos a ficar batendo cabeça e levantando os punhos pro ar, dá à Walter (um grande compositor) a direção artística do troço e um contrato com uma grande gravadora para bancar os custos de produção do seu disco de estréia. Não tem como dar errado.

O disco é ótimo do começo ao fim e, como tantas outras coisas boas da vida, ninguém percebeu por aqui em Brazaland. A Revista Kerrang chegou a afirmar que “United By Fate” era o melhor disco de “rock moderno” já lançado desde “Nevermind”. O álbum de fato não faz feio.united

“Used for Glue” e “Good Things” foram os singles do disco e depois de um ano e tanto de turnê a banda aposentou suas chuteiras em 2003.

Fato é que os caras voltaram para o Festival alemão Rock Am Ring do ano passado e a partir daí resolveram participar de outros shows e Festivais e até planejam gravar material novo. Uma boa notícia para quem, como eu, era fã dos caras e das coisas que o Walter faz.

Saquem só os clipes dos dois singles da banda e tirem suas próprias conclusões (não deu para postar os clipes aqui, a Universal não deixou):

http://www.youtube.com/watch?v=K3JVYJGmcNQ

http://www.youtube.com/watch?v=26XFvLsZ5dI

Se cuidem e até,

 

Z

 

TOP FIVE DA SEMANA

 

– Tomar café da manhã na Confeitaria XV com a Pauline;

– The Smiths – “Strangeways, Here We Come”;

– Nine Inch Nails –“With Teeth”;

– Johnny Cash – American III – Solitary Man

– Ter finalmente concluído a mixagem do disco de Alva;

Permalink Deixe um Comentário