Microcampanha para a volta do Kit Kat

Abril 21, 2009 at 3:19 pm (Uncategorized)

kit-kat1
Uma das vantagens de se ter um Blog é que você pode escrever sobre qualquer bobagem ou coisa que der na telha, sem se preocupar de ser taxado de demente ou louco (tal democracia e liberdade praticamente definem o que representa a internet nos tempos atuais).

Que me conhece sabe que, além da música, uma das minhas paixões são os chocolates. E o Kit Kat ocupa uma posição de destaque no meu Top Five geral dos melhores chocolates de todos os tempos (ainda não consegui estabelecer as posições deste Top Five).

Lançado na Inglaterra em 1937 pela Nestlé, o Kit Kat é um chocolate que vende cerca de 47 unidades por segundo no mundo. Os ingleses são os maiores responsáveis pela produção mundial da barrinha, exportada para países da Europa e da América do Sul. Kit Kat chegou ao Brasil em 1994, em apenas uma versão (chocolate ao leite). No mundo, há diversas outras, inclusive uma para ser colocada na geladeira (Kit Kat Chil It) e outra com menta (Kit Kat Mint).

Diversos artigos na internet apontam que esse maravilhoso produto serviu de valioso alimento durante a II Guerra Mundial. Dizem que a chave do sucesso do Kit Kat deve-se, essencialmente, ao fato de ser um produto único que oferece a quantidade certa de chocolate e Crisp Wafer (bolacha wafer) deixando para trás com facilidade “similares” como Bis (da Lacta) e Sem Parar (da própria Nestlé).

Existem duas versões do chocolate, uma da Nestlé e outra da Hersheys, dependendo da localidade do mundo. Pessoalmente, acho a da Nestlé embora a da Hersheys esteja longe de se jogar fora.

Entretanto, infelizmente esse sensacional chocolate deixou de ser fabricado pela Nestlé do Brasil há alguns anos atrás. Não se tem informações precisas que revelem os motivos desse crime. Todavia, dada a popularidade do produto no Brasil (e no mundo) ao que parece a razão não foi o volume de vendas que parecia ir muito bem (todo que já experimentou é louco por esse troço).

Já li textos que apontam que a marca pertence a Hersheys o que teria levado a Nestlé no Brasil a deixar de comercializar o chocolate. Segundo tais fontes, a Hershey já estaria em processo de aprovação para comercializar no Brasil novamente o Kit Kat.

Independente disso, ajude essa nobre causa de trazer de volta o Kit Kat para as prateleiras do Brasil. Voce pode ligar gratuitamente para a Nestlé (0800-7702411) ou enviar um email para falecom@nestle.com.br.

Se cuidem e até,

Z

TOP FIVE DA SEMANA

– O tradicional anual “Churrasco Santo” organizado pelo Lucky na sexta-feira santa da Páscoa;
– Passar o feriado com a Pauline e comer o “Frango a la Polly” preparado por ela;
– Ouvir todos os discos do Nirvana na seqüência e tocar “Breed” com o Alva no ultimo ensaio;
– The Dismemberment Plan – “Change”;
– Riddle Of Steel – “Got This Feeling”;

Anúncios

7 comentários

  1. Felipe Parucci said,

    ta bom, ta bom…
    pra parar de pedir a TODAS as pessoas que viajam para o exterior “Traz um kit kat pra mim!” eu vou mandar um email…
    vou mesmo!

    xxx

    (Daya)

  2. Sami. said,

    Já mandei um e-mail! Vamos ver se eles respondem me enrolando…como sempre acontece qdo agente manda email pra essas empresas hehehe

  3. Christiani said,

    Zimath, vício em chocolate é coisa de menina! Mas tudo bem, Kit Kat era animal mesmo!

  4. sindromederobgordon said,

    Chris, dizer que chocolate é para meninas é o mesmo que dizer que hardcore é para meninos! E sim, Kit Kat era foda mesmo! Bjus

  5. Sergio (Atômica) said,

    E como era bom um Kit Kat antes do almoço, hehehehehe

  6. Christiani said,

  7. Amalie said,

    O óleo de dendê que Paul Bulcke, Presidente da Nestlé, compra para produzir o chocolate “Kit Kat” é resultado da destruição das florestas tropicais da Indonésia. Grandes empresas, como a Sinar Mas, destroem a vegetação primária, chamada floresta de turfa, para plantar dendezeiro, mais eucalipto para produzir papel. A destruição ameaça a sobrevivência dos orangotangos, nativos da floresta, e das comunidades locais, além de emitir gases de efeito estufa que contribuem para o aquecimento global. Paul e as empresas com as quais comercializa óleo de dendê estão envolvidas na destruição da floresta de turfa. A Nestlé, maior empresa de alimentos e bebidas do mundo, compra mais de 320 mil toneladas de óleo de dendê por ano. A co-responsabilidade sobre a destruição das florestas indonésias é clara. A empresa precisa influenciar mudanças positivas na cadeia de produção de seus fornecedores. Mesmo com o bom exemplo da Unilever, multinacional de alimentos e cosméticos que já cancelou seu contrato com a Sinar Mas pelas práticas irresponsáveis, a Nestlé não toma nenhuma atitude.

    A Nestlé deve parar de fugir de sua responsabilidade e assumir esse problema. É preciso:

    – Interromper relações comerciais com qualquer empresa do Grupo Sinar Mas;
    – Parar de comprar produtos de empresas que comercializam óleo de dendê, papel e celulose da Sinar Mas;
    – Pressionar o governo e as indústrias da Indonésia para proteger a floresta de turfa, e estabelecer uma moratória pelo fim do desmatamento.

    http://www.greenpeace.org.br

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: