O ressurgimento dos tentáculos do Polvo

Junho 23, 2009 at 9:48 pm (Uncategorized)

polvo

O Polvo sempre foi uma banda que nunca esteve aí pra ninguém. Na verdade os caras sempre se preocuparam com a única coisa que verdadeiramente deveria preocupar todos os músicos: a música. Ponto.

Eles começaram a sua carreira no começo dos anos 90, na cidade de Chapel Hill, North Carolina, América. A turma do hype, setor de embalagem e demais departamentos da crítica musical aponta o Polvo como um dos precursores desse troço chamado “Math Rock” (“rock matemático” em tradução livre). Quem conhece a banda, logo entende que a denominação pretende traduzir a proposta sonora avant-guarde do grupo de adotar estruturas complexas em suas canções, quebra de andamentos, utilizar harmonias dissonantes e melodias modais orientais. Como alguém já disse no passado que “você pode chamar o Polvo de Math Rock mas os números simplesmente não fecham”. Outros chamaram os caras de prog-rock dos anos 90. É como eu sempre digo: “deixemos os rótulos para turma que cuida das embalagens”.

Sei que volta e meia bato nesta tecla, mas a obra do Polvo tem uma qualidade que, se já era rara nos anos 90, nos dias atuais mostra-se totalmente esquecida: a imprevisibilidade. Polvo_InPrism_Package

Polvo é uma palavra que em espanhol que pode significar tanto “poeira” como “sexo”. Todavia, não se vê qualquer sinal de poeira na discografia do Polvo que é formada por 3 Ep´s e 5 discos de estúdio incluindo o novíssimo “In Prism” a ser lançado pela Merge Records no dia 08 de setembro depois de 11 anos sem lançar nada. Mas se, assim como eu, a paciência não é o seu forte dá para conferir uma música nova do disco, a complexa e sensacional “Beggar´s Bowl” aqui.

Sei que nem todo mundo engole essa “doidera” que era a música do Polvo. Eu acho foda e separei esse vídeo para quem concorda comigo poder dar uma conferida (ou para quem ainda não conhece curtir, ou não).

Se cuidem e até,

 Z

TOP FIVE DA SEMANA

– Amar;

– Sagu com creme de baunilha do Restaurante Família Smania;

– O Primeiro Baile Elétrico do Orelhada no Liverpool Snooker Pub com Blasè e Cassim & Barbária;

– Acompanhar as filmagens do filme curta-metragem “Cinemaêutica” de Rodrigo Falk Brum;

– Começar a trabalhar em novas canções do Alva;

Anúncios

Permalink 3 comentários